Quinta-feira, 1 de Setembro de 2011

Os pescadores gémeos - Anedota #112

 

Eram dois pescadores gémeos.
Um casado e o outro solteiro.
O solteiro tinha uma lancha de pesca já velha.
Um dia, a mulher do casado morre.
E como desgraça nunca vem só, a lancha do irmão solteiro afunda-se no mesmo dia.
Uma senhora, dessas velhotas curiosas e fofoqueiras, soube da morte da mulher e resolve dar os pêsames ao viúvo, mas confunde os irmãos e acaba por se dirigir ao irmão que perdeu a lancha.
- Eu só soube agora. Que perda enorme. Deve ser terrível para si.
O solteiro, sem entender bem, explicou:
- Pois é. Estou arrasado. Mas é preciso ser forte e enfrentar a realidade. De qualquer modo, ela já estava muito velha. Tinha o traseiro todo arrebentado, cheirava a peixe e metia água como nunca vi. É verdade que ela tinha uma grande racha na frente e um buraco atrás que, cada vez que eu usava, ficava maior. Mas eu acho que o que ela não aguentou foi que eu a emprestava a quatro amigos que se divertiam com ela. Eu sempre lhes disse para eles irem com calma, mas desta vez foram os quatro juntos e isso foi demais para ela...

A velhinha fofoqueira desmaiou!

 

sinto-me:
publicado por Lígia Laginha às 11:42
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 18 de Agosto de 2011

Bodas de ouro - Anedota #103

 

Quando fizeram 50 anos de casados, ela pediu ao marido para irem passar a noite do aniversário no mesmo hotel onde haviam passado a noite de núpcias. Ele concordou e foram. Ela quis jantar no quarto, o mesmo da noite de núpcias, e ele acedeu. Ao jantar ela pôs-se à vontade e a certa altura diz ao marido, debruçando-se:

- Ai, filho! Sinto um calor no peito, como senti à 50 anos, aqui, neste mesmo sítio...

- Então... vê lá se tiras as mamas de dentro da sopa.

 

sinto-me:
publicado por Lígia Laginha às 08:04
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 15 de Junho de 2011

Os velhotes no lar - Anedota #51

 

Num lar de terceira idade, um velhote faz uma proposta a uma senhora de idade:
- Já que não estamos em condições de ter sexo, a minha amiga importar-se-ia de me acariciar o pénis?

A velhota, como não tinha nada a perder, aceitou e até começou a achar piada. Todos os dias davam um passeio pelo jardim e a velhota lá acariciava o velhote.

Um dia, o velhote deixou de aparecer ao encontro. Preocupada, a velhota vai à procura do velho e encontra-o do outro lado do jardim com outra velhota do lar. Furiosa diz:
- Seu ingrato! O que é que essa velha tem que eu não tenha?

E responde todo contente o velho:
- Parkinson…

sinto-me:
publicado por Lígia Laginha às 10:38
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
16
17

21
24

26
27
28
29
30


.posts recentes

. Os pescadores gémeos - An...

. Bodas de ouro - Anedota #...

. Os velhotes no lar - Aned...

.arquivos

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

.tags

. todas as tags

.favorito

. Diz que o Dia do Juizo Fi...

. Alemão multado em 1500 eu...

. O canhão - Anedota #27

. Bem feita - Anedota #32

. O Fazendeiro e o sexo ana...

. Inalaram cinzas de cremaç...

. Fã mata gato para imitar ...

. Passa veneno na vagina pa...

. Mulher ganha direito a ma...

. Lili Caneças e as plástic...

.links